Blog Comer Sem Culpa

14/07/2010

Quem não toma café, belisca...

 

Não fazer a refeição matinal pode ainda desencadear hábitos alimentares inadequados ao longo do dia. Um dos mais comuns é o  comportamento beliscador, onde as  pessoas passam a consumir pequenas porções de alimentos ao longo do dia e não fazem nenhuma refeição bem definida.

Até o almoço passa a ser um lanchinho. Nesses casos, estas pessoas nunca sentem fome para uma refeição completa, mas nunca estão plenamente saciadas para evitar os beliscos.

Fome e saciedade são condições normais de quem faz refeições bem definidas em intervalos regulares. Nesse processo, todas as vezes que comemos corretamente, os hormônios que regulam saciedade entram em cena, tornando natural o intervalo que antecede a próxima refeição.

Além dos hormônios que atuam sobre a saciedade, o maior hormônio de estocagem de energia: a insulina é secretada todas as vezes que comemos, fazendo com que os alimentos ingeridos possam ser guardados dentro das células.  

Nas pessoas com comportamento beliscador, a insulina é secretada em numerosos picos diários, todas as vezes que elas ingerem pequenas porções de alimentos, propiciam maior tendência ao armazenamento de energia, em detrimento da queima. Esse processo, muitas vezes, conduz ao ganho de peso.  

Por Citen às 13h08

13/07/2010

Comece o dia com um bom café da manhã

Você se levanta cedo como a maioria dos brasileiros? Isso é muito saudável, apesar da reclamação geral e do sono gostoso da manhã.

E o seu café da manhã? Você consegue reservar 15 minutos para sua primeira refeição? Se a resposta for sim, você tem mais chances de ter um dia melhor e mais produtivo.

Isso porque levantar cedo e atrasado são as explicações mais usadas para que as pessoas deixem de fazer o desjejum.

Por correria ou por preguiça, essa omissão pode influenciar negativamente todo o seu dia, a começar pela queima calórica. Sim, isso mesmo, você passa a queimar menos calorias, pois seu corpo traduz essa situação como escassez de alimentos e reage reduzindo a queima calórica.

Além disso, a fome é implacável nos casos de jejum prolongado e certamente ela se torna incontrolável ao longo do dia, determinando maiores ingestões de alimentos nas demais refeições e menor seletividade nas escolhas.

Na hora da fome, nem pensamos, e optamos instintivamente pelos alimentos mais calóricos. Uma catástrofe para quem está preocupado em manter ou perder peso. Quase todo mundo!

Por Citen às 13h53

04/07/2010

Sobremesas x calorias excessivas

 

 

Quando falamos em sobremesa, a maior preocupação são as calorias adicionadas ao cardápio e isso se torna ainda mais importante quando há dificuldade para controlar o peso.

Nesses casos não é o açúcar o maior vilão e, sim, a gordura, pois é ela que agrega sabor e calorias às sobremesas.

Quando ingerimos uma torta doce, um sorvete ou um chocolate, o mais calórico ingrediente desses alimentos são as gorduras e não o açúcar. Tanto é que o chocolate diet, aquele que não tem açúcar, é tão calórico quanto o chocolate normal.

Logo, na maioria das vezes, a sobremesa, pode tornar uma dieta muito mais calórica e um pouco menos saudável por causa da gordura saturada e do colesterol que ela pode conter.

Sempre que possível, devemos trocar os laticínios integrais pelos desnatados, reduzir a quantidade de chocolate proposta na receita ou diluir os ingredientes mais calóricos em leite desnatado.

Veja a sugestão do Citen: Bata no liquidificador um envelope de gelatina sem sabor diluído em água quente, uma xícara de chá de leite em pó desnatado, ¾ de xícara de chá de suco de maracujá, duas colheres de sopa de adoçante. Misture posteriormente duas claras em neve. Leve à geladeira em tacinhas individuais e saboreie uma deliciosa mousse de maracujá com menos calorias do que uma salada de frutas. Porção 100g: 66 calorias CHO10g – PTN6,4g – Gord 0

Por Citen às 18h14

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre o blog

Comer corretamente pode parecer uma tarefa impossível nos dias de hoje. O tempo é curto, a ansiedade generalizada e as informações são, muitas vezes, simplistas e tendenciosas, idealizando alguns alimentos e difamando outros. Esquecemos da premissa que, em Nutrição, não existem alimentos ruins, e sim dietas inadequadas. A idéia deste blog é esta - mostrar que a dieta ideal é possível e prazerosa. Juntos, podemos controlar calorias e balancear os nutrientes, respeitando as nossas emoções.

Sobre as autoras

Dra. Ellen Simone Paiva -

Endocrinologista e nutróloga, diretora do Citen (Centro Integrado de Terapia Nutricional). Mestre na área de Nutrição e Diabetes pela USP e especialista em Transtornos Alimentares pela Unifesp. Colunista dos sites Minha Vida, Guia do Bebê e do Blog de Especialistas da Dican.


Dra. Amanda Epifânio Pereira -

Nutricionista, especialista em Nutrição de Doenças Crônicas pelo Hospital Israelita Albert Eistein e em Transtornos Alimentares pela Unifesp.

Histórico