Blog Comer Sem Culpa

15/03/2011

A glândula tireóide no foco da tragédia do Japão

Os acidentes com energia nuclear expõem as pessoas a vários e graves riscos de saúde. No Brasil o acidente com o Césio 137 em Goiânia nos deu uma vaga idéia do poder devastador da radiação. Tão imperceptível quanto letal. No último dia 12 de março, no Japão, uma grande tragédia ambiental provocada por um terremoto, seguido de um tsunami trouxe de volta o fantasma da devastação causada pela radioatividade, tão bem conhecida dos japoneses desde as tragédias em Hiroshima e Nagasaki em 1945.

A exposição à radiação causa danos diretos aos tecidos vivos, bem como ao DNA. Um contato de grande intensidade pode causar a morte imediata como nos milhares de japoneses expostos à bomba atômica. Em casos de exposição de menor intensidade, as lesões podem determinar danos ao DNA com mutações potencialmente causadoras de câncer.

Entre os casos de câncer causados pela radioatividade, a tireóide é uma das principais vítimas. Isso se deve ao fato de que um vazamento de material nuclear libera iodo radioativo (I-131) que é captado ativamente pela glândula tireóide. Além desses graves acidentes, a tireóide pode ser danificada por radiações bem mais conhecidas do nosso dia a dia, como Raios X e Radioterapia na região da cabeça e pescoço. Além do câncer, a radiação pode causar vários tipos de disfunção tireoideana, resultando em produção hormonal excessiva, o hipertireoidismo ou deficiente, o hipotireoidismo.

Por incrível que pareça, o iodo também pode proteger a tireóide. Estamos falando do iodo não radioativo (I-127). Quando administrado em altas doses, há uma saturação da capacidade de captação da glândula tireóide, que se torna impossibilitada de captar o iodo radioativo. Essa capacidade de bloqueio da captação do iodo radioativo vem sendo utilizada pelo Japão através da suplementação com altas doses de iodo à população exposta.

Por enquanto ainda não podemos avaliar o impacto das explosões de Fukushima, mas a administração profilática do iodo pode ser uma pequena esperança de proteção tireoideana frente a um potencial lesivo sistêmico que a radiação pode causar. 

 

Por Citen às 08h32

10/03/2011

Vamos libertar a glândula tireóide

Cansaço, sonolência, ganho de peso e desânimo são queixas muito comuns em nossos dias, uma vez que as demandas são enormes. As metas das empresas e a competitividade que elas estimulam entre colegas de trabalho, a necessidade de estudar sempre, as solicitações da família e as próprias necessidades individuais competem entre si por espaços na vida das pessoas. Não há tempo livre e o tal ócio criativo é realmente um tema interessante de livro que ficou nas prateleiras e não pode ser colocado em prática.

Assim, se perguntarmos a todos os pacientes que nos procuram se por acaso ele sentem mais cansaço, a resposta será afirmativa em mais de 90% deles. Apesar de suas vidas tão atribuladas e cansativas eles ainda não relacionam suas queixas a uma real exaustão. Elegem logo um possível culpado e a pobre glândula tireóide é a primeira a levantar suspeita.

Na verdade, a maioria das pessoas com tais queixas não estão doentes e nem muito menos com doenças da tireóide. Estão simplesmente cansados e nada mais. Precisam descansar e não de remédio. E se ganharam peso, o culpado na realidade é a desorganização da própria vida e não uma disfunção glandular.

Além do cansaço, o ganho de peso é outra queixa muito comum a procura de culpados. Novamente a tireóide é lembrada como a vilã da silhueta que teima em ficar acima da média. Aqui também é preciso retirar a glândula tireóide do banco dos réus. A disfunção tireoideana que reduz a capacidade de síntese dos hormônios tireoideanos não engorda como se pensa. Quando muito, essa situação pode dificultar a perda de peso caso não seja tratada. Ao iniciar o hormônio tireoideano em doses ideais de reposição, nada de errado pode ser creditado nas contas da glândula tireóide. 

Por Citen às 20h07

04/03/2011

Abusou na festa? Agora não adianta chá de boldo!

 

Hidratar é a regra. Quase todos os detalhes do carnaval conduzem a perda de líquidos. Bebidas alcoólicas desidratam, ao contrário do que pensam os cervejeiros. Alimentos salgados desidratam e eles combinam muito bem com as bebidas alcoólicas. O calor intenso desidrata, e associado à atividade física das festas, causa ainda mais perda líquida. Logo, a melhor atitude é beber muita água, durante e após a festa.

Dietas desintoxicantes não funcionam. O fígado felizmente tem uma grande capacidade de se refazer após os abusos alimentares e alcoólicos. Precisa de tempo e muita água. Nessa hora, as frutas são grandes aliadas, pois são constituídas de cerca de 90% de água, associada às vitaminas e minerais que repõem eficazmente as perdas dos foliões.

A alimentação deve ser leve, principalmente com pouca gordura. Depois de tanta sobrecarga, a hora é de poupar o fígado. A busca pelo peso ideal deve ser retomada e não deve sofrer com a idéia de que a festa possa ter quebrado o encanto que mobilizava a dieta. O feriado cede lugar à rotina e os dias de folga terminam, permitindo que a vida volte à sua disciplina de horários que tão bem nos faz. É desse equilíbrio que precisamos para seguir em frente. Até o próximo feriado prolongado. 

 

Por Citen às 18h56

Não boicote o seu carnaval

Feriado prolongado agrada a todos. Não importa se gostam ou não da folia. A oportunidade é de descanso, lazer e maior convívio com familiares e amigos. Mas para um grupo bem definido de pessoas a idéia de lazer e confraternização trás consigo o risco de sair da linha. Enquanto alguns se preparam animadamente para os dias de folga, eles sofrem antecipadamente pela situação arriscada que vão enfrentar. Não estão tranquilos nunca.

Se você se identificou com nossa descrição e faz parte dos sofredores, você deve ser mais um gordinho que luta desesperadamente contra a balança. É compreensível a sua preocupação, uma vez que a comida faz mesmo parte do todo tipo de lazer. Mas vamos pensar com calma, ela não precisa ser a única fonte de lazer e nem a grande vilã da história. Não faça um boicote antecipado ao seu feriado.

Caso você esteja engajado em uma dieta, não pense que uma situação inusitada e uma alimentação diferente possam ter a conotação de um deslize. Pense que uma dieta saudável deve ser pra sempre e deverá conviver com as festas, onde se come o que se serve. A melhor estratégia para essas ocasiões é festejar gastando energia de forma prazerosa.

Aproveite para caminhar, estando você em sua cidade ou fora dela. Não precisa fazer disso uma atividade física cronometrada. Trata-se de um passeio e você deve curtir ao máximo tudo que ele pode te oferecer. O lazer com a família é mais um motivo de festa e prazer e ele pode garantir gastos calóricos muito bem vindos quando associados a atividades recreativas como jogar bola com a criançada. Finalmente, a folia do carnaval pode fechar com chave de ouro o feriado e impedir o tão temido ganho de peso. Pense assim: se você não engordar nesses dias e conseguir relaxar e se divertir, o objetivo foi alcançado!

Por Citen às 18h50

Nutricosméticos

Se você ainda não conhece, prepare-se. A moda agora são suplementos vitamínicos com efeito cosmético com a promessa de embelezar as pessoas. Corrigem a celulite, fortalecem os cabelos e as unhas, tratam a pele e ainda melhoram a disposição e o ânimo das pessoas. Não são alimentos, nem remédios. São suplementos alimentares. Com essa denominação, esses compostos encontram uma brecha legal nas duras regras das agências reguladoras.

Nenhum suplemento classificado como nutricosmético tem avaliação científica para garantir a sua utilização em prescrições médicas. Não servem como substitutos dos alimentos nem como complemento deles. Não garantem nossa saúde quando nossa dieta é falha, nem aumentam nossa saciedade para nos ajudar a comer menos e emagrecer. Logo, esses suplementos dificultam a nossa difícil tarefa de orientar as pessoas a comer de forma mais saudável. Com a alegação de nutrir e ajudar a contornar as dificuldades alimentares na correria da vida moderna, esses compostos nada mais fazem do que fornecer um embasamento teórico e discutível às más práticas alimentares.

Não vemos neles nenhum benefício à saúde ou a beleza, pois a segunda não prescinde da primeira. Comer corretamente, isso sim é uma atitude inteligente, moderna e revolucionária no século XXI. As evidências científicas têm mostrado que as cápsulas vitamínicas não funcionam como comer frutas e verduras e, portanto, toda inovação deverá fugir dessa prática suplementar. Os nutricosméticos, ao nosso ver, nada mais são do que a reinvenção do que já sabemos não funcionar. 

 

 

Por Citen às 08h13

02/03/2011

Suplementos Alimentares e Exercícios Físicos

Bebidas Energéticas e Termogênicos

É muito sedutora a idéia de queimar calorias sem esforço físico. Além disso, ter mais força, disposição e corpo perfeito. Tudo muito simplista nas propagandas das bebidas energéticas. Essas bebidas são compostas por cafeína, guaraná, açúcar ou adoçante, aminoácidos como a taurina e carnitina, ginseng dentre outros. Todos associados com a promessa de oferecer disposição extra a estudantes, baladeiros e esportistas.

Mas será que isso é mesmo possível? Enquanto aumenta a preocupação de pais e médicos, as vendas explosivas das bebidas energéticas alcançarão a marca dos 9 bilhões de dólares nos mais de 140 países em todo o mundo em 2011. Como explicar esse avanço de um produto quando as agências reguladoras cada vez mais rigorosas, cancelam medicamentos e monitoram alimentos, baseadas na proteção à saúde das pessoas? Acontece que essas bebidas são colocadas como suplementos alimentares. Não são remédios nem alimentos, fugindo assim do braço forte da vigilância.

A cafeína é o principal ingrediente ativo das bebidas energéticas e muitas delas contém 70 a 80mg por 240ml, o que representa 3 vezes o teor de cafeína de um refrigerante tipo cola. Além disso, essas bebidas contem vários suplementos também ricos em cafeína como o guaraná. Essa quantidade extra de cafeína não costuma ser declarada nos rótulos do produto, resultando em doses muito maiores do que poderíamos supor.

Será que os resultados na redução do peso corporal e na melhora da disposição e vitalidade são satisfatórios com doses tão elevadas? De acordo com o último trabalho científico publicado recentemente na revista Pediatrics, esses benefícios não superam os riscos. O efeito termogênico da cafeína não parece levar a perda de peso e os efeitos colaterais encontrados foram graves o bastante para que os pesquisadores concluíssem pela necessidade de uma regulamentação rigorosa na comercialização e consumo desses suplementos.

Na verdade, o sonho pode se tornar um pesadelo, como temos deparado em prontos socorros. São muitos os relatos de adolescentes e adultos jovens atendidos nessas unidades de emergência com taquicardia, irritabilidade, ansiedade, insônia e até mesmo convulsões. Todos eles foram em busca de energia e de um corpo perfeito, que alcançariam da mesma forma e sem riscos se optassem pela malhação e alimentação equilibrada. 

Por Citen às 10h49

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre o blog

Comer corretamente pode parecer uma tarefa impossível nos dias de hoje. O tempo é curto, a ansiedade generalizada e as informações são, muitas vezes, simplistas e tendenciosas, idealizando alguns alimentos e difamando outros. Esquecemos da premissa que, em Nutrição, não existem alimentos ruins, e sim dietas inadequadas. A idéia deste blog é esta - mostrar que a dieta ideal é possível e prazerosa. Juntos, podemos controlar calorias e balancear os nutrientes, respeitando as nossas emoções.

Sobre as autoras

Dra. Ellen Simone Paiva -

Endocrinologista e nutróloga, diretora do Citen (Centro Integrado de Terapia Nutricional). Mestre na área de Nutrição e Diabetes pela USP e especialista em Transtornos Alimentares pela Unifesp. Colunista dos sites Minha Vida, Guia do Bebê e do Blog de Especialistas da Dican.


Dra. Amanda Epifânio Pereira -

Nutricionista, especialista em Nutrição de Doenças Crônicas pelo Hospital Israelita Albert Eistein e em Transtornos Alimentares pela Unifesp.

Histórico