Blog Comer Sem Culpa

14/11/2012

O mundo veste azul

Por Citen às 09h06

07/11/2012

O que você considera como um alimento saudável?

Com tanta informação sobre alimentos e dietas veiculadas pela mídia, as pessoas formam uma opinião, muitas vezes, equivocada a cerca da real importância de determinados alimentos e tentam, a duras penas, incorporá-los em seus cardápios, mesmo contrariando seus mais arraigados hábitos alimentares, suas tradições e até suas reais necessidades nutricionais.

É muito difícil resistir à corrente que leva todas as pessoas a assumir um hábito alimentar, teoricamente correto, mas nem sempre necessário ou realmente benéfico para determinados indivíduos. Quem ainda não sentiu uma necessidade irresistível de comer linhaça? E chia? Como pode alguém ainda não ter provado este ou aquele milagroso alimento? Esses e muitos outros exemplos podem ilustrar o que vem ocorrendo com as escolhas alimentares das pessoas. Há um verdadeiro turbilhão de informações a cerca das maravilhas nutricionais de alimentos totalmente dispensáveis, ou que já fazem parte dos seus cardápios sob a forma de outros alimentos muito mais palatáveis e culturalmente assimilados pelos diversos povos.

Nesse processo, não podemos deixar de observar a influência exercida pela mídia que demoniza alguns alimentos e destaca outros, com tamanha veemência que é capaz de criar um comportamento alimentar que reduz a importância da dieta como um todo em favor do poder curativo ou preventivo de determinados alimentos. Não importa o sabor, a pertinência do consumo ou até mesmo a adequação aos hábitos alimentares de um povo. As pessoas passam a consumir o “novo produto” porque leram ou ouviram dizer que tal alimento faz bem.

Apesar de buscarmos soluções simples para questões tão complexas como saúde, longevidade e peso ideal, chegamos à conclusão de que o alcance dessas metas depende de um conjunto de fatores que vai muito além de uma colher de linhaça no café da manhã ou de uma xícara de chá, após o almoço. O sucesso do trinômio qualidade de vida - peso ideal - vida longa depende muito mais do empenho individual no sentido da prática regular de atividade física, da supressão do fumo, do consumo moderado de álcool e termina com a mobilização das famílias no sentido de viabilizarem o preparo de uma alimentação variada e saudável aos seus filhos, para que eles possam crescer com hábitos alimentares que, naturalmente, lhes assegure o alcance das metas de saúde.

Por Citen às 14h10

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre o blog

Comer corretamente pode parecer uma tarefa impossível nos dias de hoje. O tempo é curto, a ansiedade generalizada e as informações são, muitas vezes, simplistas e tendenciosas, idealizando alguns alimentos e difamando outros. Esquecemos da premissa que, em Nutrição, não existem alimentos ruins, e sim dietas inadequadas. A idéia deste blog é esta - mostrar que a dieta ideal é possível e prazerosa. Juntos, podemos controlar calorias e balancear os nutrientes, respeitando as nossas emoções.

Sobre as autoras

Dra. Ellen Simone Paiva -

Endocrinologista e nutróloga, diretora do Citen (Centro Integrado de Terapia Nutricional). Mestre na área de Nutrição e Diabetes pela USP e especialista em Transtornos Alimentares pela Unifesp. Colunista dos sites Minha Vida, Guia do Bebê e do Blog de Especialistas da Dican.


Dra. Amanda Epifânio Pereira -

Nutricionista, especialista em Nutrição de Doenças Crônicas pelo Hospital Israelita Albert Eistein e em Transtornos Alimentares pela Unifesp.

Histórico