Blog Comer Sem Culpa

10/06/2013

O sucesso da Cirurgia Bariátrica revelado pelas pesquisas científicas

Quando o tema é a cirurgia de estômago, a opinião dos pacientes vai da aprovação incondicional à aversão. No meio científico, as dúvidas estão sendo solucionadas a cada ano que passa. Recentemente, uma grande pesquisa científica revela que os benefícios superam em muito os riscos do procedimento. Trata-se do estudo SOS realizado na Suécia e que analisou os efeitos da cirurgia  bariátrica durante os últimos 20 anos em um grupo de 4000 obesos, metade deles submetidos ao procedimento cirúrgico e a outra metade submetida a mudanças no estilo de vida como dieta e exercícios.

A primeira informação definitiva do estudo foi a grande dificuldade ou até inviabilidade  em alcançar perda de peso em obesidade grave usando estratégias de mudanças no estilo de vida e sem medicamentos. Nos 2000 pacientes do grupo tratados dessa forma, a perda de peso ao final de 20 anos foi de menos de 2%. Isso significa a perda de 2,5kg num paciente com 130kg. Por outro lado, os pacientes operados perderam ao final do mesmo período uma média de 17% do peso corporal, cerca de 22kg. É bem certo que a perda de peso inicial nos dois grupos tenha sido bem maior, mas ao longo dos 20 anos, o saldo para os pacientes operados foi muito melhor.

Esse saldo influenciou beneficamente vários parâmetros a favor daqueles pacientes submetidos à cirurgia. Entre eles, houve uma menor taxa de mortalidade por todas as causas e em particular por doenças cardiovasculares. Esse detalhe esclareceu uma grande dúvida nossa sobre a expectativa de vida desses pacientes. Agora, nós sabemos que eles vivem mais quando optam pela cirurgia.

O efeito benéfico  da cirurgia bariátrica no tratamento e prevenção do diabetes já é um consenso. Os dados do estudo SOS só vieram confirmar o fato, revelando uma redução na incidência do Diabetes em 80% entre os obesos operados em relação aos controles. Esse resultado pode explicar os benefícios cardiovasculares da cirurgia, uma vez que o paciente obeso se torna muito mais vulnerável  ao infarto quando apresenta diabetes associado.

O dado relevante e inédito no estudo foi a relação entre a perda de peso nos pacientes operados e a redução da incidência de câncer, principalmente nas mulheres. Esse resultado é animador no sentido de que demonstra a extensão dos benefícios da perda de peso. Nós já sabíamos da forte relação entre obesidade e câncer, mas ainda não tínhamos a comprovação de que emagrecer pode prevenir a doença.

 

A escassez de medicamentos efetivos e seguros para o tratamento da obesidade mórbida torna a cirurgia o mais eficiente método na abordagem desses pacientes. Os 17% de perda de peso ao final de 20 anos pode parecer pouco quando imaginamos que isso significa 22kg em um paciente de 130kg. Mas é o que de melhor temos. 

Por Citen às 12h22

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre o blog

Comer corretamente pode parecer uma tarefa impossível nos dias de hoje. O tempo é curto, a ansiedade generalizada e as informações são, muitas vezes, simplistas e tendenciosas, idealizando alguns alimentos e difamando outros. Esquecemos da premissa que, em Nutrição, não existem alimentos ruins, e sim dietas inadequadas. A idéia deste blog é esta - mostrar que a dieta ideal é possível e prazerosa. Juntos, podemos controlar calorias e balancear os nutrientes, respeitando as nossas emoções.

Sobre as autoras

Dra. Ellen Simone Paiva -

Endocrinologista e nutróloga, diretora do Citen (Centro Integrado de Terapia Nutricional). Mestre na área de Nutrição e Diabetes pela USP e especialista em Transtornos Alimentares pela Unifesp. Colunista dos sites Minha Vida, Guia do Bebê e do Blog de Especialistas da Dican.


Dra. Amanda Epifânio Pereira -

Nutricionista, especialista em Nutrição de Doenças Crônicas pelo Hospital Israelita Albert Eistein e em Transtornos Alimentares pela Unifesp.

Histórico